Conheça os participantes do Programa de Inovação LPBK

Agora é oficial: o Programa de Inovação LPBK começou! =) No total, 14 participantes, com perfis muito diversificados, foram escolhidos para competir no projeto de aceleração de departamentos jurídicos, após uma seleção feita por vídeos e entrevista. A iniciativa inédita do escritório de Curitiba e Porto Alegre traz uma lufada de criatividade para o cenário da advocacia, que tem vivenciado o processo de transformação digital nos últimos anos. As boas-vindas aos candidatos ficaram por conta dos sócios da banca, Luiz Fernando Brusamolin, Marcos Lessa, José Antônio Araldi, Priscilla Reis e Andrea Grabovski, e, ainda, pelos coordenadores do projeto, os advogados Rhodrigo Deda e Mariana Faria.

A trajetória da LPBK reflete essa constante busca por inovação. Ao apostar em tecnologia desde o início das atividades, o escritório se tornou um dos maiores do país especializado em contencioso bancário, capaz de gerenciar uma carteira com mais de 80 mil processos dos principais bancos. Com o programa, pretende se manter na vanguarda, sendo capaz de catalisar as boas ideias disponíveis no mercado para diversificar os segmentos de operação.

A abertura do evento que marcou o início das atividades do programa foi feita pelo empreendedor jurídico e investidor Mauricio Kavinski, que ofereceu um panorama das principais inovações no Direito. À seleta plateia de futuros empreendedores, Kavinski destacou que o momento é propício para desenvolver negócios inovadores, pois a advocacia ainda está no início da curva de disrupção, com mercados e tecnologias ainda inexplorados. No entanto, ele destacou que, mais do que a ideia em si, o sucesso depende da capacidade de execução e do desejo de se dedicar com afinco ao projeto, que se torna um propósito de vida.

O coordenador geral do programa, o advogado Rhodrigo Deda, que acumula experiência na criação de programas de aceleração e mentoria para empreendedores, explicou que cada projeto deve oferecer uma proposta de valor diferenciada ao mercado jurídico, com um apelo inovador, seja de método, processo ou ferramenta tenológica. Segundo Deda, o empreendedor na era digital precisa desenvolver um modelo mental ágil, capaz de aprender rapidamente com os erros e oferecer uma resposta em tempo hábil aos sucessivos testes de validação do produto. Além disso, a gestão dos processos deve priorizar a metodologia lean, que surgiu no Japão inspirada nas práticas adotadas pela montadora Toyota e que pode ser resumida no modelo “startup enxuta”, ou seja, o empreendedor deve evitar desperdícios e se concentrar nas atividades que criam ou agregam valor e que o cliente esteja disposto a pagar.

O Programa

A cada semana, serão 2 encontros, com palestras, mentorias, capacitações e oficinas. O objetivo é que os participantes aprendam a construir, na prática, um modelo de negócios viável e também a partir da experiência de outros empreendedores, que vão compartilhar trajetórias inspiradoras de sucesso. O primeiro mês será dedicado a descoberta de cliente. Os participantes terão a missão de encontrar um nicho de mercado viável para os projetos apresentados. O time aprenderá sobre Legal Canvas, técnicas de validação e pesquisa, tipos de cliente, personas e jornada do usuário, canais, mapa de influência, precificação, entre outros assuntos.

O aprendizado intensivo deverá ser demonstrado pelo cumprimento de tarefas, cuja qualidade será analisada pela coordenação do programa. Apenas os melhores talentos devem permanecer na competição, que eliminará uma ou duas equipes a cada 2 meses. Os participantes serão preparados para enfrentar a banca de sócios e convidados, que vai avaliar a evolução dos projetos. A apresentação do pitch será decisiva para se manter no páreo. Apenas 2 projetos finalistas poderão se tornar os futuros departamentos jurídicos da LPBK.

Incentivo

Para estimular ainda mais os participantes, o programa oferece uma contrapartida financeira a título de investimento inicial nos projetos. O capital semente é de mil reais todo mês para a equipe. A verba pode ser utilizada em ações de marketing e vendas, por exemplo. Além disso, os participantes têm à disposição toda infraestrutura da LPBK, como sala de trabalho e de reuniões. Eles também receberão suporte de ferramentas tecnológicas para desenvolver o MVP, isto é, o produto mínimo viável dos projetos apresentados.

Conheça os 14 participantes e equipes selecionados
  • Bruna Scarllat, Marcia Marins Vieira e Kelli Fernanda de Oliveira

Bruna é acadêmica de Direito da FAPAR e Marcia e Kelli são graduadas pela PUC/PR e Faculdade Dom Bosco, respectivamente. O trio apresentou uma proposta sobre consultoria jurídica em Direito Tributário.

  • Fernando Schumak

Fernando tem uma carreira consolidada na área jurídica, sendo professor da FAE com mestrado em Ciência Política pela UFPR e pesquisador de inovação no Direito no grupo TecnoLawgia. Agora, busca o desafio de empreender com um projeto sobre precedentes e desenvolvimento de teses.

  • Gabriel Sanson e Plinio Hayashi 

Ambos se formaram em Direito pela Universidade Positivo e, animados com o programa, resolveram apresentar dois projetos: um de superendividamento e outro sobre partilha de bens e sucessão.

  • Luiza Adena Engers e Rômulo Ramos Pagnozzi

Luiza é acadêmica de Direito na PUC/PR e Rômulo cursa Administração na Espanha e está prestes a voltar para o Brasil com essa experiência na bagagem. A dupla uniu esforços para apresentar um projeto que oferece assistência jurídica para pequenos e médios negócios.

  • Luiz Antonio Ferreira, Marcus Borky e Rangel Oliveira Trindade

Luiz é funcionário público com mestrado pela UFPR, Marcus é especialista em marketing digital e Rangel está no doutorado na UFPR em propriedade intelectual. O que une esse trio tão diverso é a paixão por música e pelo projeto de gerenciar direitos autorais de uma forma inovadora.

  • Nícolas Fabeni e Thales Farias

A dupla já possui afinidade com empreendedorismo em projetos como o Legal Hub e Smart Tour Brasil. Thales é acadêmico de Direito da PUC/PR, a exemplo de Nícolas, que também cursa Administração na UFPR. Ambos propuseram um projeto de departamento jurídico voltado para startups.

  • Thiago Salla Duro Nunes

Thiago é graduado em Direito pela PUC/RS e técnico em contabilidade. É o participante que fica em Porto Alegre e vai trabalhar em um projeto que otimiza a captação de clientes em nichos específicos.