LPBK apresenta cases de inovação aos participantes de programa de aceleração jurídica

A habilidade de resolver problemas requer soluções criativas e customizadas, feitas sob medida. Essa foi a principal mensagem da palestra do sócio da LPBK, José Antônio Broglio Araldi, aos participantes do Programa de Inovação em mais um encontro, no qual foram apresentados cases de inovação do escritório. Araldi mostrou a complexidade de operação para garantir o gerenciamento de uma carteira com cerca de 60 mil processos ativos, expertise que credencia a LPBK a estar na vanguarda do contencioso de massa bancário e de recuperação de crédito.

Entretanto, uma trajetória de sucesso não pode ser construída sem contínuas mudanças. Ser pioneiro muitas vezes não se trata apenas de sair à frente na adoção de ferramentas tecnológicas. Pelo contrário. Araldi mostrou que a inovação pode estar na gestão eficiente de métodos e processos internos, que precisam ser constantemente revistos e ajustados, sem apego demasiado aos procedimentos iniciais.

O escritório tem diversos cases que podem ilustrar bem o que significa a busca por fazer diferente, mais e melhor, com foco nas necessidades do cliente e na redução de custos. Esse modelo de gestão é semelhante ao “startup enxuta”, que os participantes do programa irão aplicar nos projetos que cada equipe irá desenvolver. O método consiste em voltar a atenção às atividades que trazem benefícios ao cliente, na vigilância constante da escassez de recursos e na readequação ágil de processos ineficientes.

Luz vermelha: pare! 🚨✋

Para eliminar qualquer risco de perda de prazo no protocolo de petições (lembrando que são 60 mil processos ativos! 😱), por exemplo, a LPBK implementou, em 2014, um sistema de alerta baseado no funcionamento inteligível dos semáforos de trânsito. Em dashboards inteligentes que permitem a visualização dos dados gerais do escritório, o verde significa tarefas que já foram feitas, o amarelo aquelas que estão em andamento e o vermelho significa atividades diárias com prazos fatais que ainda não foram executadas e que, portanto, merecem prioridade e atenção máxima da equipe. Também foi adotado um procedimento simples de segurança que permite a assinatura de peças processais por um líder de equipe até mesmo em casa, caso haja alguma urgência.

História na LPBK

Como forma de inspirar os futuros empreendedores, Araldi também narrou a trajetória pessoal dentro do escritório, quando entrou ainda estagiário até chegar ao posto de sócio. Mesmo caminho trilhado pela sócia Priscilla Rodrigues, que participou de um bate-papo informal com a turma de futuros empreendedores junto com a sócia Andrea Grabovski.

A LPBK valoriza a capacidade de execução dos colaboradores, incentivando o papel de liderança e protagonismo, que não deve se desconectar da operação, pois a lida diária oferece a oportunidade de transformar os problemas em soluções criativas.

Nos últimos anos, o escritório iniciou um processo ousado de mudanças. De escritório de advocacia, o grupo tem se tornado cada vez mais um conglomerado de negócios na área jurídica, principalmente com perfil inovador, atuando como um hub que conta com a parceria de várias legaltechs.

Afinal, o que é inovação?

Geralmente, quando se fala em inovação, a abordagem costuma ficar restrita ao desenvolvimento de novos produtos e serviços. Contudo, pesquisas no tema revelam que existem mais de 10 tipos de inovação que podem ser feitos em qualquer negócio, inclusive os de natureza jurídica, com as devidas adaptações. No livro Organizações Exponenciais [1], são citadas:

  • Modelo de lucro: como você ganha dinheiro;
  • Rede social: como você se conecta com outras pessoas para criar valor;
  • Estrutura: como você organiza e alinha seus talentos e ativos;
  • Processo: como você usa métodos diferenciados ou superiores para realizar seu trabalho;
  • Desempenho de produto: como você desenvolve características e funcionalidades diferenciadas;
  • Sistema de produto: como você cria produtos e serviços complementares;
  • Serviço: como você apoia e amplia o valor de suas ofertas;
  • Canal: como você entrega suas ofertas aos clientes e usuários;
  • Marca: como você representa suas ofertas e o negócio;
  • Engajamento do cliente: como você promove interações cativantes.

Atualmente, para sobreviver à concorrência, as organizações devem adotar modelos de inovação aberta, buscando também novas ideias fora da organização, tal qual a LPBK fez ao lançar o inédito programa de aceleração de departamentos jurídicos. Segundo o co-fundador da prestigiosa Singularity University, Peter Diamandis, “Se você estiver contando exclusivamente com a inovação de dentro da sua empresa, você está morto” [2]. Afinal, é sempre bom lembrar, a inovação disruptiva que pode naufragar empresas tradicionais raramente vem do status quo.

Referência:

[1] e [2] ISMAIL, Salim; MALONE, Michael S.; GEEST, Yuri Van. Organizações Exponenciais: por que elas são 10 vezes melhores, mais rápidas e mais baratas que a sua (e o que fazer a respeito). Rio de Janeiro: Alta Books, 2019, p. 205 e 178.