Participantes do Programa de Inovação da LPBK recebem oficina para realizar primeira tarefa

A competição começou para valer! 🚀 Nesta semana, os participantes do Programa de Inovação da LPBK devem realizar a primeira tarefa do projeto, a ser apresentada no próximo sábado (18/05). As entregas semanais são uma condição para permanecer na disputa que vai escolher o futuro departamento jurídico do escritório ou lawtech. A missão dos candidatos a empreendedores consiste em validar a proposta de valor apresentada com pelo menos um segmento de cliente, além de definir o propósito e o modelo de negócios preliminar. Os insights recebidos como feedback vão permitir a avaliação dos sócios da LPBK a respeito da adequação e viabilidade da iniciativa.

Para atender aos requisitos da tarefa, os participantes receberam uma oficina de capacitação em modelo de negócios, realizada pelos mentores Rhodrigo Deda e Mariana Faria. Nesse primeiro momento, o que se busca é que os candidatos tenham a capacidade de ter uma visão macro do projeto proposto e que possam coletar indícios de que a ideia apresentada resolve uma dor de mercado. A metodologia empregada deriva do modelo de pesquisa e desenvolvimento de produtos e serviços utilizado por startups.

Afinal, o que é um modelo de negócios?

De acordo com Alexander Osterwalder, “um modelo de negócios descreve a lógica de criação, entrega e captura de valor por parte de uma organização” [1]. Na prática, Ostewalder quer dizer que um modelo de negócios viável precisa fazer sentido e agregar valor para um segmento de clientes. Ele foi o criador do famoso Canvas, a ferramenta mais bem-sucedida para estruturar um modelo de negócios com um método simples, ágil e eficiente.

Construindo um modelo de negócios 💪

Utilizado por diversas empresas no mundo todo, o Canvas Modelo de Negócios (Business Model Canvas) é o primeiro passo para estruturar a sua ideia (consulte aqui a ferramenta on-line). O mapa tem 9 componentes que representam os pontos-chave de atenção para um negócio bem-sucedido: 1) segmento de clientes, 2) proposta de valor, 3) canais, 4) relacionamento com os clientes, 5) fluxo de receita, 6) recursos principais, 7) Atividades-chave; 8) parcerias principais e 9) estrutura de custo. Anote em post-its a sua percepção e proposta para cada coluna. A vantagem de se utilizar o Canvas é que esse método possibilita uma readequação dos rumos do negócio de forma muito mais dinâmica do que um plano tradicional, que raramente é revisado.

Os participantes do Programa de Inovação da LPBK também foram apresentados ao Canvas da Proposta de Valor (Value Proposition Design) [2], que possibilita aprofundar o olhar em dois pilares específicos do modelo de negócios: a proposta de valor e o segmento de clientes. Nessa etapa, o que se busca avaliar é de que maneira a proposta de valor apresentada pode gerar ganhos e aliviar as dores do segmento de clientes pretendido, ou seja, um encaixe perfeito entre esses componentes. Para alcançar o desejado product market fit, é preciso fazer pesquisas com técnicas adequadas no intuito de validar a proposta de valor.

Respostas estão na rua e não no escritório

Ficar parado confabulando hipóteses, no papel ou na própria cabeça, não é a maneira adequada de se construir um modelo de negócios. É preciso uma boa dose de disposição para estar na rua em contato com seus possíveis segmentos de cliente. Essa imersão é fundamental para obter insights valiosos que vão redirecionar o seu modelo de negócios. Lembre-se que o desenvolvimento de um produto ou serviço deve ser orientado para atender uma demanda do usuário.

Muito além de um negócio, um propósito ✨

Por que se dar ao trabalho de empreender e construir um negócio? O consultor de marketing mundialmente conhecido, Simon Sinek [3], costuma repetir que as pessoas não compram o que você faz, mas sim por que você faz. Descobrir um propósito é uma tarefa diretamente ligada às motivações mais íntimas do empreendedor. Afinal, de que maneira você pretende impactar o mundo com seu negócio? Para ajudar a responder essa pergunta com mais clareza, Sinek desenvolveu o Golden Circle, uma metodologia que estrutura o por que (propósito), como (método) e o que (prática) de um modelo de negócios.

Atualmente, o propósito tem sido considerado tão relevante nos modelos de negócios que, em muitas empresas, já se funde até com a própria marca, sendo uma poderosa ferramenta de marketing para atração de pessoas que se identificam com aquele modo particular de transformar o mundo. O propósito transformador massivo (PTM) é uma das características essenciais de uma organização que tenha a pretensão de escalar os seus produtos e serviços para um impacto exponencial.

Para empreender e ousar fazer a diferença, é preciso sonhar grande e não ter medo de estar vulnerável. A criatividade e a inovação surgem de erros e fracassos. Os candidatos do Programa de Inovação já ouviram esse chamado de coragem [4], e você? Vamos juntos! 😎

Aproveite nossa curadoria de conteúdo:

[1] Osterwalder, Alexander; Pigneur, Yves. Business Model Generation – Inovação em Modelos de Negócios: um manual para visionários, inovadores e revolucionários. Rio de Janeiro: Alta Books, 2011, p. 14.

[2] Osterwalder, Alexander; Pigneur, Yves; Bernarda, Greg; Smith, Alan. Value Proposition Design: como construir propostas de valor inovadoras. Rio de Janeiro: Alta Books, 2019.

[3] Palestra TED de Simon Sinek com o tema “Como grandes líderes inspiram ação”, disponível no YouTube.

[4] Palestra de Brené Brown com o tema “O chamado para coragem”, disponível na Netflix.